terça-feira, 17 de novembro de 2009

Dieste, Johan ou Velez?














Olá pessoal, o tema de hoje é sobre a diversidade arquitetônica e de arquitetos. No nosso caso vamos discutir sobre linhas de arquiteturas, Eládio Diestes, Johan Van Legen e Simon Velez.

Cada um na sua linha de desenho, os três trabalham o termo sustentabilidade de formas e conceitos diversos, tratemos de uma ánalise de arquitetura contemporânea.

Diestes com a arquitetura de cerâmica, com suas curvas e contra curvas, tem o desenho e a materialidade exposta, nas fachadas de cerâmica aparente perdemos um pouco de uma ánalise retrógoda que arquitetura contemporânea, é feita a partir de aço, concreto e vidro. Diestes trabalha a arquitetura com terra e com curvas.

Johan Van legen, ou arquiteto descalço, traz a terra-crua, a vernacularidade à tona. Com as diversas técnicas Johan trabalha na percepção da ecologia e meio ambiente com parceria a arquitetura. A bio arquitetura de Johan busca a o interesse social das camadas miseráveis. O desenho da terra é contemporâneo, o desenho de Johan é contemporâneo.

Simon Velez, tem na contemporâneidade a forma de expressar o trabalho com o bambu. No Bambu Velez, busca a ligação, complexidade, a forma e função que todos os princípios da arquitetura nos trazem. Com as potencialidades do bambu, Velez eleva o bambu como um material do futuro, que tem condições de estar no meio urbano.


Os 3 arquitetos, renomados com trabalhos na América latina, sendo que nenhum é de origem Brasileira, permitem nos questionarmos do que é feita a arquitetura contemporânea. Afinal, o que é arquitetura contemporânea? É o desenho? A Forma? Função? Materialidade?

Amigos

Por hj é só

seja feliz

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Palestra na Universidade Federal do Ceára
















Olá pessoal, o tema de hoje, é a palestra realizada no dia 28 de julho de 2009, na qual Orlando Rivero e Leonardo Gazeto ministraram um papo sobre Bio-arquitetura e Permacultura para os alunos da universidade federal do ceára.
A palestra ocorreu no auditorio da universidade, e o intuito foi de divulgar e relatar experiências do arquiteto e do permacultor, com as atividades orgânicas.
A palestra surgiu de uma experiencia na Taiba -CE, com a construção de um aquecedor solar de baixo custo, realizada na pousada Blauset. Um aquecedor de 1000 litros, construido com placas alveolares de PVC.
Sobre a palestra foi relatada a experiência na agricultura pelo permacultor Orlando Rivero, e na Bio-arquitetura com o arquiteto Leonardo Gazeto.
Foi demosntrado o casa ecologica, Serra Azul - Sp, e outros exemplos de arquitetura de menor impacto ambiental.
A palestra acrescentou muito aos palestrantes como aos ouvintes.
Tanto Leonardo como Orlando, tem uma sociedade "Terra Viva - Soluções Orgânicas" localizada no Peru, mas com atendimento em toda América Latina, posteriormente a empresa terra viva vai ser divulgada no blog.
Por hoje é só.
seja feliz

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Projeto Loja - Ecológica.
















Olá pessoal, faz muito tempo mas voltemos a conversar. O papo de hoje é sobre o projeto da loja - camiseta feita de pet - localizada no shopping Fashion Brás, São Paulo.

Com o conceito da sustentabilidade e do minimo impacto ambiental, os arquitetos Caio Gomes e Leonardo Gazeto, buscaram realizar um traço limpo e com desenho contemporâneo, que privilegia o produto da loja, que são camisetas e vestuários que são confeccionados a partir de garrafas PET e de lonas.

A imagem acima, demonstra o interior da loja, com mastros de aço inox, conseguimos diferenciar a vitrine de fachadas tradiocionais, e com a simplicidade dos detalhes alcançamos os objetivos das prorietárias. Usos de nichos de madeira, um móbile central para demonstrar o produto

No interior, o desafio era criar espaços sufientes para a armazenagem dos produtos, com esta ideia, criamos mais de 100 nichos e com capacidade de mais de mil camisetas há serem estocadas.

O projeto também necessitava de espaços para demosntração das peças, assim foi criada dois balcões. Espelhos foram colocados com a inteção de aumentar o espaço.

A loja ainda permite o cliente a ver o processo de confecçcão das camisetas, um espaço reservado para maquina de transfer. Além de contar com provador e area de café.

Mas e a proposta ecologica:

# Todas as madeiras usadas no projeto são madeiras plasticas recicladas.
# A Tinta usada na loja será ecologica, a base de água.
# O revestimento será com tijolos de demolição.
# Somente Luzes fluorescentes.
# Condionamento Térmico - Acústico.


Obrigado por todos

seja feliz



sábado, 18 de julho de 2009

Cord Wood, parede de madeira
















Hoje o tema é parede de madeira, ou como é mais conhecido "cord wood".

Esta técnica é oriunda da Europa, há séculos atrás, com a grande abundância de terra-crua e madeira, no caso lenha. Camponeses criaram uma mistura na qual era utilizado terra-crua, agua e areia, criando um barro e com lenhas cortadas do mesmo comprimento e diferentes larguras, aglutinavam e assentavam com esta massa de terra.

O Cord wood, é uma excelente superfície térmica e acústica, pois além da combinação dos materiais naturais, existe uma largura de geralmente 20 cm.

Esta técnica não é auto portante, é necessário um sistema estrutural, ocasionando um custo maior para o projeto, como fechamento o fator termo-acústico e estético é extraodirnário.

A técnica necessita de uma fundação leve, com um alicerce acima do piso, uma média de 50 cm , seguramos a técnica contra a umidade do solo ( pode ser feito de pedras ou blocos de concreto). Na parte posterior se preocupar com beirais generosos, média de 60 cm.

Com a possibilidade de criar e explorar as formas da lenha, pode desenhar e estimular brincadeiras e formatos, com a própria lenha pode se fazer mobiliários ( ganchos, cabides, prateleiras).


Por hoje é só
Seja Feliz

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Escritório de Bio Arquitetura













Hoje o assunto é sobre o escritório de Bio Arquitetura, Orgânica Arquitetura.

Orgânica Arquitetura tem como arquiteto titular Leonardo Gazeto, fundada no ano de 2009 o escritório visa a arquitetura com menor impacto, tanto na construção convencional como na construção sustentável.

O intuito é de realizar um arquitetura bio-climática em todas as proporções, sempre na busca da melhoria da qualidade espacial e funcional do ambiente.

O escritório tem como experiências profissionais; Residência Sagarana, Residência Cláudio Gazeto, Fossa de Bananeira ONG - Ibiré, Aquecedor Solar de Baixo Custo - Taiba-Ceará

O termo humano sempre é preponderante, pois cada projeto é único e particular, assim o escritório busca a aproximação do cliente com a obra, interagindo para que haja um resultado benéfico para ambas as partes.

A Orgânica Arquitetura oferece;

Projetos de arquitetura (residencial e comercial)
Energias renováveis (aquecimento de água, energia solar, energia eólica)
Tratamento das águas cinza e negra
Paisagismo ecológico
Reformas
Telhado verde
Estruturas em Bambu
Fogão à lenha
Consultorias
Captação de água
Cisternas e re-uso de água


Para contato;
Arq. Leonardo Gazeto
email : leo_gazeto@hotmail.com
Fone (16) 9709-8711


Arcos e cupúlas na bio arquitetura















Hoje o assunto é sobre a construção de arcos e cúpulas de terra e de materiais ecológicos.

Na construção vernacular o que podemos encontrar é uma pequena ousadia dos construtores da época, devida a pequena informação técnica obtida, e sempre um conhecimento praticamente empírico. Arcos e cúpulas sempre na duvida não eram utilizadas, pois poderiam romper e abalar a estrutura construída. É uma afirmação que tem menos construções que utilizavam arcos e cúpulas porém existiam e sempre quem usava eram construtores avançados, geralmentes clero e a nobreza.

Hoje com o domínio da estrutura, resistência dos materiais e com cálculos, podemos avaliar a dimensões e sistemas de construção para arcos e cúpulas.

Como na ilustração acima, um arco feito de super adobe, com sacos de polipropilenos dimensionados. Além do super adobe, arcos podem ser feitos no adobe e em tijolos de solo-cimento.

A beleza da curva impressiona e sempre nos remete a algo natural, uma forma do meio ambiente e que sempre não terá um impacto sobre ele. Sempre que podemos usar a curva e contra curva temos otimizar e priorizar.

por hoje é só
seja feliz

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Uso da Bio-Arquitetura no espaço urbano















Olá Pessoal, hoje o assunto é o uso da bio-arquitetura na construção convecional e no espaço urbano.

A ilustração acima, é de um exemplo de arquitetura com principios da bio-arquitetura, bioclimática e contemporânidade.

Atualmente muitos materiais orgânicos e reciclados podem e devem ser usados na arquitetura, não importando o design, estilo, função e forma. O uso de materiais com menor impacto têm de estar presente na construção contemporânea.

Sem o preconceito de usar, podemos contribuir ecologicamente e eonomicamente com escolhas de materiais adequados. Assim alguns exemplos, hoje a maioria das divisórias e paredes internas são feitas de tijolos convencionais, uma postura de menor impacto estas divisórias poderiam ser de Dry Wall, ou até mesmo de pau-a-pique( com a execução adequada obtém a mesma perfeição do Dry Wall). No caso do reboco externo e principalmente em muros de divisa, podemos utilizar traços sem adição de cimento, feitos de terra, areia, cal, e outros agregados.

Nos piso podemos re-utilizar sobras de tijolos na construçaõ e transformar em um belo mosaico. As paredes externas, para os mais ecológicos têm-se diferentes técnicas da terra-crua (Adobe, taipa de pilão, super adobe, etc) mas temos a opção do tijolo ecológico (Solo-cimento, que tem a mesma dimensão do tijolo cozido). O lixo na construção civil é um grande vilão e temos que dar uma finalidade adequada, pois somos nós que produzimos, muitos materiais podem ser re-utilizados, como tijolos quebrados (piso, agregados, fossa, etc), formas de madeira (Prateleiras, estrutura de pau-a-pique) além de outros materiais, o que procuramos realizar é a menor quantidade de lixo gerado e despejado em caçambas, para que o poder público tome conta.

Na cobertura, estruturas de Bambu e Madeira (Certificada) podem ser um alíbi para o não uso de lajes de concreto. Cobertura verde, com gramíneas e hortaliças resultam no melhoramento térmico e acústico além da beleza do telhado jardim.

A caixilharia pode e dever ser algo fiel ao conceito do projeto, e a reciclagem pode ser um fato para obtenção delas, muitas casas de demolição vende caixilhos antigos e em perfeitas condições.

Temos sistemas de água e esgoto que podemos adequar aos termos de um sistema sustentável. Mais estes sistemas de água e esgoto é para outro artigo.

Hoje podemos percerber que temos muitas formas de constribuir com o meio ambiente na concepção e na execução da obra, se possivel adequar totalmente o projeto, mas uma técnica sendo usada já ajuda e muito o processo da construção.

Alguns exemplos foram citados, em breve mais técnicas que podem ser aplicadas na obra. Este tema, "Uso da Bio-Arquitetura no espaço urbano" é a idéia de pesquisa de mestrado. Estou trabalhando para que seja possível a realização da pesquisa.

Por Hoje é só
Seja Feliz

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Garrafa-Tijolo, Boas idéias















Hoje pessoal vou relatar uma criação de um design europeu, que tentou reciclar inovando na matéria - prima.

Este design, no qual não tenho o nome, criou um novo design para uma garrafa da cerveja Heineken. Ela seria apropriada para ser usada como tijolo em construções civis. Com um formato diferente ela encaixaria em outras garrafas tendo uma amarração sem a necessidade de uma argamassa (Concreto atualmente).

A Forma é simples, duas faces da garrafa são planas e com pequenos volumes, necessária para o atrito, e a parte de baixo tem uma superficie côncova, resultando no encaixe de outra garrafa.

Pequenas idéias podem resultar em buscas revolucionárias, mas nem tudo na Arquitetura orgânica e ecológica tem um meio como esperamos. Este design e esta linha de fabricação foi rejeitada pela direção da empresa que é proprietária da marca Heineken. Infelizmente este processo criativo inovador foi apenas um protótipo. Mas o final, não saberemos pois a semente a criação ecológica foi semeada e esperamos que outros produtos com este caráter sejam criados e que empresas favoreçam ao uso destes.

Por hoje é só
Seja feliz

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Re - Ciclar, favorece a vida


















Hoje pessoal o tema é a destinação e criação dos nossos alimentos, o ciclo da alimentação.

Há pesssoas ainda que não sabem deste pequeno e ilustrativo ciclo demonstrado na figura acima. A simplicidade da imagem pode confundir e atrapalhar o entendimento de algumas pessoas. Uma frase bem dita vale por muitas palavras " Tudo é reciclável, na esfera do bio-degradáveis como os não degradáveis".

Hoje falaremos dos Bio-degradáveis, o "lixo" alimentar. Mais de 80% do nosso lixo é orgânico, e o que nós fazemos? lançamos junto com os lixos não degradáveis assim somando um numero de lixo que o estado não tem condições de coletar, e perdemos uma fonte rica de energia e minerais.

O lixo orgânico utilizado de forma correta pode gerar adubo que por sua vez ajuda no crescimento de novos alimentos, com isso temos o nosso ciclo reduzido alimentar.

A compostagem é uma forma adequada de usar o lixo orgânico, o local chamado de "composteira" pode ser uma vala, um buraco ou até mesmo construções com tonéis e latas. Com a definição do local que será feito a compostagem é colocada uma camada de material seco ( utiliza geralmente - capim seco, folas secas, feno, serragem, papelão, entre outros). Por cima deste material seco colocamos uma cobertura fresca ( utiliza geralmente esterco de gado ou de cavalo). Acima destas camadas podemos colocar restos de comida e lixos bio-degradaveis, sempre secos ( acelera o processo e também para não ter odores). Repita este processo das camadas até que o material fique numa altura igual a 1,00 metro. Por final molhe, sem encharcar.

De 5 em 5 dias revire a pilha e após 30 dias o composto pode ser usado em canteiros, jardins e mudas.

Com isso o ciclo está em rotação e tudo que vc não ingerir e ser sobra, pode ser um elemento para sua composteira.

Por Hoje é só
Seja Feliz.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Estádio Sustentável, Energia Solar















Olá Pessoal, hoje é dia de projeto sustentável, a partir da concepção dos painéis fotovoltaicos.

A Fotografia acima é do "estádio sustentável" como é denominado. O Arquiteto conceituado em todo mundo, o japônes Toyo Ito, pelo seu talento de caracterizar arquiteturas contemporâneas em diferentes escalas e condicionantes. Toyo Ito um dos principais arquitetos japôneses, projetou o estádio com o conceito do próprio ser auto sustentável em energia.

A grande cobertura - estrutura em formato de uma ferradura é toda feita de painéis fotovoltáicos, a grande malha de painéis resulta em uma geração total de energia para o funcionamento do estádio.

O arquiteto se baseia na técnica do Feng Shui, técnica que visa a captação de energia e do conforto espiritual, o projeto do estádio é localizado na cidade de Kaohsiung, em Taiwan. O objetivo da construção do estádio é que Taiwan é para os jogos mundiais de 2009.

Mas um exemplo de uma arquitetura com o design arrojado e com a preocupação ecológica necessária.

Por hoje é só
Seja Feliz

terça-feira, 12 de maio de 2009

Parede Verde
















Olá Pessoal, hoje o assunto é o uso de vegetações em superficíes verticais, as paredes verdes.

Há muito tempo o uso de vegetação em paredes, muros, grades e portões, repercurte sobre o valor estético e funcional.

Na arquitetura bioclimática, esta cobertura vegetal nas superficíes tem uma vantagem enorme sobre outros revestimentos, pois além de aumentar a espessura da parede, o que dificulta a fuga e a entrada de calor, ela cria um colchão de ar e a incidência solar é barrada na vegetação, ocasionando um conforto térmico apropriado, tanto no inverno como no verão. Outra qualidade é a alta absorção do som, ocasionando um melhor conforto acústico.

Ainda nas vantagens da parede verde, tem a diminuição de materiais usados na construção, pois com este revestimento a parede pode ficar apenas com o reboco grosso, e em alguns casos podemos usar-a diretamente na alvenaria ou no fechamento.

O valor estético é de grande valia, pois temos uma fachada viva sem desgates do tempo, que não apresenta bolhas, rachaduras e outras patologias. A simples manutenção, que pode ser mensalmente com uma ligeira poda, obtemos uma fachada contemporânea, barata e de alto valor bioclimático para a arquitetura. A vegetação que é mais usada para esta finalidade, é a "era" como popularmente é conhecida, mas temos casos de trepadeiras e arbustos.

Atualmente a parede verde é muito usada em muros de divisa e casas de campo, mas como na foto exibida acima, temos exemplos de edificios com todo fechamento feito de cobertura verde, no Brasil onde pode encontrar mais exemplos é na cidade de São Paulo.

Por hoje é só
Seja feliz

terça-feira, 5 de maio de 2009

I Curso de Bioconstrução de Ribeirão Preto
















Olá pessoal, o artigo de hoje vem desenvolvendo desde o começo do blog, é a da realização do I Curso de Bioconstrução de Ribeirão Preto - Sagarana - Serra Azul.

O curso de Bio construção será realizado nos dias 23, 24, 25 e 26 de julho e objetivo é a construção de um mobiliário, no caso, serão dois, um painel feito de pau-a-pique e um assento feito de taipa de pilão.

Além da prática, o curso terá aulas teoricas de bio-arquitetura, energias renováveis e permacultura. O curso contará com palestras de profissionais de outras áreas, tais como; Jornalista, Agronôma e Gestor Ambiental, estes profissionais focalizarão suas palestras na sustentabilidade vistas de outros pontos de vista e não somente da arquitetura.

O curso ocorrerá na fazenda Santo Antônio, Serra Azul - São Paulo. Na fazenda está localizada o projeto de bio arquitetura "Sagarana", na qual aulas explicativas sobre o processo construtivo estarão no programa do curso.

O investimento do curso é no valor de R$ 210,00, esta incluido alimentação, hospedagem, material didático e o curso de bioconstrução. O pagamento deverá ser feito por depósito bancário.

O local da fazenda Santo Antônio, assim que a inscrição esiver relizada enviaremos um mapa com a localizacão e com os acessos.

Vagas Limitadas

Copie a ficha de inscrição e envie para o e-mail abaixo.
leo_gazeto@hotmail.com

Ficha de inscrição

Nome:

Idade:

Nacionalidade:

Local onde vive: (País, Estado e Cidade)

Telefones e Celular:

E-mail:

Profissão:

Formação:

Como ficou sabendo do curso?

A Reserva do curso será efetuada após o comprovante de depósito do valor (R$ 210,00) . Que pode ser enviado via e-mail até o dia 08/07 de 2009.
Conta Bancária:

Banco Brasil
Agência: 4392-3
Conta: 7875-1
Claúdio Augusto Gazeto/Leonardo Dias Gazeto/Bruno Dias Gazeto

Por hoje é só.
Seja feliz

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Mão-de-Obra especializada, na terra.




















Olá pessoal, hoje o tema do artigo é mão-de-obra. A escolha deste tema é fundamental para uma arquitetura racional e sustentável.

A simplicidade de uma frase; "Quando temos mais especialistas, temos menos erros", pode explicar o porque da busca da mão-de-obra especializada. Hoje na arquitetura e na construção podemos tercerizar praticamente todas as etapas da obra, com empresas que são especialistas em certas áreas, tais como; a empresa que se responsabiliza somente na confecção e instalação das formas, na equipe que instala toda a parte hidraúlica e elétrica e por aí vai.

Na arquitetura de terra, já temos a certeza que "industrialização" da construção não é tão difundida, primeiramente pelos valores tradicionais que as técnicas usam, segundo pela opção da arquitetura, geralmente o cliente quer uma arquitetura de terra pelo menor processo de industrialização, quer a matéria-prima sem nenhum tratamento e processo industrial.

Eu sou favoravél de uma menor contribuição das industrias na construção com terra, mas não posso negar como acredito que a mão-de-obra especializada favorece a arquitetura de terra. Ex; uma forma perfeita, resulta em uma parede de taipa de pilão sem patologias, claro isso depende do processo de confecção e com mão-de-obra qualificada temos uma melhor qualidade na obra.

Com os modernistas também aprendemos a racionalização de materiais, e a terra também é um material a ser dimensionado e usado corretamente, como também, bambu, vegetação, agregados, entre outros. Hoje a construção com terra permite este usos de tecnologias que só favorecem para um projeto mais correto com a concepção e com a inserção dele no meio.

Por hoje é só
Seja Feliz

domingo, 3 de maio de 2009

A Copa Sustentável?














Olá Pessoal, o tema de hoje é as instalações e futuras melhorias que o estado promete com o projeto da Copa do Mundo de Futebol " Brasil 2014".

A imagem neste texto é do projeto de reforma e adequação do estádio Orlando Scarpelli, na cidade de Florianópolis. Este estádio é um dos exemplos de muitos que passaram por reformas e até mesmo construção para ter a capacidade e qualidade digna de uma exibição de uma partida de futebol entre seleções de todo o globo.

Mais neste blog discutimos a arquitetura e dentre todas as ramificações da arquitetura nós temos o Urbanismo, esta copa vai dividir a história do urbanismo brasileiro. O urbanismo brasileiro sempre se desenvolveu e cresceu a medida que era necessário, que precisava criar sistemas para congestionar pessoas e descongestionar maquinas. Com a Copa nós temos a obrigação de realizar um projeto de urbanismo para adequar as cidades para as possiveis demandas e gerar um aquecimento de obras de infra-estrutura, como instalações de metros, aeroportos, enfins..

Esta é a oportunidade do Brasil de fazer um sistema sustentável, de realizar e implantar um sistema responsável ecologicamente mas com devidas preocupações econômicas.

Os estádios, novos ou reformados, serão para os olhos do mundo como o Brasil tratou a concepção da sustentabilidade, os estádios serão os cartões de visita e para que o mundo tenha conhecimento sobre a capacidade do Brasil de implantar projetos com potencial arquitetônico, formas, volumes e materialidades incríveis, temos a verdadeira obrigação inserir os termos da sustentabilidade nos projetos.

Nos deram a oportunidade de realizar a copa, eu acredito que possamos realizar uma copa sustentável, e com as devidas limitações econômicas que nosso país obtem.

Por hoje é só
Seja feliz

terça-feira, 28 de abril de 2009

Ventilação, suma importância para sustentabilidade














Olá Pessoal, o tema deste artigo é ventilação.

Ventilação na arquitetura é fundamental, o clima de modo geral é uma condicionante para qualquer projeto. É obrigação do arquiteto saber a direção e sentido dos ventos, faz parte de todo um ritual incial de verficação das condicionantes do terreno.

E é de suma importância um bom projeto que usa a ventilação como aliado, tais como; Nas zonas quentes, temos que evitar que a brisa , que vem do ar fresco, passe sem penetrar nos cômodos.
No meio de arquitetos e construtores há um termo que é muito usado " Ventilação Cruzada" o que é isso? Ventilação cruzada é quando a ventilação de um modo geral tem entrada e saída diferentes do ambiente, ocasionando um trânsito de ventos. Exemplo simples de ventilação cruzada é quando bem posicionado o dormitório tem uma janela a entrada de ventilação e do lado oposto que está localizado esta janela há outra abertura( porta, janela) com isso temos uma ventilação cruzada.
O uso a favor dos ventos pode diminuir no uso de ar-condicionados e ventiladores, e pode diminuir a limpeza de alguns setores da obra, já que o vento em muitos casos pode até realizar uma limpeza superficial. Como o uso não apropriado, pode canalizar e barrar o vento, um exemplo pode ser uma sala de estar sem nenhum caminho de vento, causando um aquecimento do ambiente. Nos casos de banheiros e cozinha, o uso da ventilação correta pode auxiliar na salubridade e no manejo dos alimentos. Exemplo. uma churrasqueria que esteja localizada em local que o vento seja canalizado e seja forte, o uso de carvão é maior e não terá tanto calor como de costume. Há muitos exemplos.
Mas fica o comunicado antes que haja um projeto o vento necessita ser estudado e o projeto tem de conciliar com as preocações de ventilação.

Por hoje é só
seja feliz

Telhado Verde, Vivo e Jardim



















Olá Pessoal, Hoje vamos discutir sobre telhado verde. Como no título telhado verde tem várias denomiações diferentes, tais como; cobertura verde, viva, jardim, telhado de grama e por aí vai.

O telhado verde é uma técnica usada na cobertura de habitação, edifícios e demais obras, que permite um melhor conforto térmico e acústico, além do baixo valor econômico. Para um país tropical, o telhado verde é uma grande solução para construir, com o cuidado de que nas épocas das secas, necessita irriga-los.

O sistema construtivo para a elaboração do telhado verde é rápido e de fácil compreensão para o construtor. Com estrutura de madeira apoiada em pilares e vigas de madeira, os caibros são dispostos da mesma forma que se usa tradicionalmente, a diferença é as ripas, que no caso do telhado verde é dispensada e no lugar delas existem bambus, estes de diâmetro de 3 a 5 cm, perfilados um do lado outro, o que cria uma espécie de forro de bambu. O telhado verde tem inclinação que varia de 5 a 10 %, para que não haja rápido escoamento da água e para a grama ou a vegetação plantada tenha maior aderência. Feito o forro de bambu, ocorre à inserção de uma camada de espuma ou carpete que tem a função de evitar o conato direto do bambu com a lona impermeável. A próxima estapa, e a mais importante, é a lona impermeável. A lona recomendadapara uma total impermeabilização da cobertura é o PEAD, polietileno de alta densidade. Com a lona instalada, uma camada de 5 cm de terra é inserida. Especialistas dizem que a espessura da camada de terra pode varia de 5 a 10 cm. Com o nivelameno da terra há a inserção da grama, a espécie de grama mais indicada é a grama esmeralda.

E assim é uma breve explicação do que se trata um telhado verde, vivo, ou jardim.

Por hoje é só
seja feliz.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Arte e Terra, IG Lehm

videoOlá pessoal, este vídeo são de arquitetos suiços.
O escritório se chama Ig Lehm, eles projetam e edificam arquiteturas sustentáveis, claro muita arquitetura de terra, no vídeo podemos perceber o alto nível de industrialização destes arquitetos. Uso de muita tecnologia da construção, auxiliando em materiais primitivos e arcaicos, como; a terra e o fardo de palha.
Este vídeo não necessita de comentários, pois por si só ele é didático e envolvente.
O site do escritório;
http://www.iglehm.ch/
pelo site os senhores podem ter maiores informações das obras e as realizações deste grupo de arquitetos.

p.s: no site também tem o download do vídeo exibido neste artigo.

por hoje é só.
seja feliz

Sanitário Seco, revolução?

















Os sanitários comuns gastam muita água. Estima-se que 1/3 da água gasta em uma casa vai para o vaso sanitário. São em média entre 13 litros de água gasta a cada descarga, podendo chegar a 30 litros se estiver desregulada.

Tratamentos de esgoto e bombeamentos dos efluentes vão parar em rios e oceanos poluindo e inutilizando mais água. E já está comprovado que tanques sépticos não são confiáveis. Fora isso, os canos entopem e derramam o esgoto no jardim ou nos córregos que terminam em rios.
Os sanitários compostáveis são uma resposta inteligente para todos esses problemas. Eles são um equilíbrio entre os métodos rurais antigos e as exigências de higiene da sociedade moderna. O seu propósito é tornar as fezes humanas inócuas sem a utilização de água para descarga.
Vantagens de um sanitário seco:
Não utiliza água para descarga.
Não produz efluente.
Não transfere para os solos e rios os patógenos associados às fezes humanas.
Não tem mal cheiro.
O material compostado vira um adubo orgânico para agroflorestas ou alimentos para que as minhocas produzam seu poderoso húmos.
Como funciona o sanitário seco:
Existem muitos modos para matar os organismos patogênicos que são encontrados nas fezes humanas. No sanitário compostável isso é feito por meio de temperatura e tempo de compostagem.A alta temperatura é uma ótima maneira de matar estes patógenos. Por isso, na câmara do sanitário, a temperatura deve estar significamente acima da temperatura do corpo humano, 37 graus Celsius.
Uma placa preta situada do lado de fora do sanitário aquece a câmara com a luz do sol permitindo que a temperatura suba e o processo de compostagem comece. Se a temperatura atinge:
50 graus Celsius, mata os patógenos em 1 dia;
46 graus Celsius, mata os patógenos em 1 semana;
43 graus Celsius, mata os patógenso em 1 mês.
Fatores como pH, umidade, níveis de amônia e tempo de compostagem também influem na eliminação dos patógenos. O tempo é um fator importante, já que os patógenos morrem poucos dias depois que estão fora do corpo humano. A vida dos patógenos é menor fora do corpo porque o ambiente é hostil, competitivo e as bactérias aeróbicas estão prontas para devorá-los. Antes de usar o sanitário seco pela primeira vez, deve-se forrar a câmara com folhas secas, como serragem, capim ou folhas (aproximadamente 30 cm). Eles absorvem os líquidos, ajudam a decomposição e evitam que o conteúdo fique muito sólido. Logo que entrar em funcionamento, podem aparecer moscas, e por isto todas as entradas e saídas de ar devem ter uma tela de mosqueteiro.
Como usar:
Jogar na câmara uma medida de serragem após cada uso;
Não jogar dentro das câmaras materiais inorgânicos. Disponibilizar um lixeiro no sanitário para objetos como absorventes femininos, fraudas, etc.;
Os homens devem evitar fazer xixi (fazer no mato ou num coletor apropriado). Já as mulheres pelas dificuldades inerentes (de privacidade) ficam liberadas desta prática. Outra possibilidade é mudar o sistema para que a urina seja captada e não se misture ao composto, pois o excesso de urina vai prejudicar o processo de compostagem. É bom colocar um cartaz na porta, pelo lado de dentro, destacando os bons hábitos de uso do sanitário, principalmente se for de uso público.


Obrigado pessoal,
por hoje é só.
seja feliz

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Taipa de Pilão, Parede Perfeita !
























Olá Pessoal, muito tempo desde a última postagem, mas este longo tempo conheci coisas novas a ainda estou procurando a "novidade".
Este artigo vamos falar da taipa de pilão, que por acaso neste mes vi e observei muitas obras com a Taipa.

Técnica construiva originada dos paises europeus e do norte da africa. A taipa de pilão é também chamada de paredes monoliticas. Atualmente a taipa é muio usada pois seua acabamento e seu valor estrutural co-relacionam com a arquitetura contemporanea.

O metodo de construção da Taipa requer esforço fisico e precisao, com a montagem da forma, que pode ser de chapas metalicas ou de madeira, chapas na maioria das vezes são de madeira são colocadas paralelamente com a distancia que resultará na espessura da parede variando de 20 cm a 1 metro.

A terra utilizada na taipa é extraída num local próximo ao da construção, isso depois de ser removida a terra vegetal (cerca de 0.5m). É normalmente uma terra argilosa que após ser misturada com pequenas pedras, seixos rolados, água, palha e cal e se obter uma mistura homegênea é batida dentro de fôrmas de madeira chamadas de taipais (é constituída de duas grandes pranchas compostas de tábuas emendadas no topo e furos equidistantes atravessados por claves de madeira que ajudam no transporte e levantamento dos blocos)

O resultado deste processo é uma parede auto-portante. Em algumas construções feitas de taipa de pilão pode até dispensar cintas e elementos estruturais, de acabamento perfeito e dequalidade estrutural maior do que ais outrs técnicas.

Por hoje é só pessoal
seja feliz
abração

segunda-feira, 9 de março de 2009

Eco_Design e o futuro?












Olá pessoal, demorei mais voltei. Por estes dias estava sem empolgação para escrever. Mas não sei como a vontade de retomar foi maior e cá estou.
Este bate papo de hoje, é para abrir oficialmente e publicamente o escritorio de bio arquitetura Eco_design, como no logotipo ao lado. Venho informar alguns projetos futuros que não tem o porque de esconder e de surpresas que podem acontecer.
Na minha ulima viagem para o municipio de Santa Fé do Sul, conversei com o dpto de meio ambiente e chegamos a um acordo de parceria entre os meus serviços e a prefeitura. explico melhor, a prefeitura tem o projeto de cidade verde, que no caso ela é vencedora, e para melhorar a sua nota a prefeitura quer ter o programa de habitação sustentavel. Com isso eu projetei tres habitacoes, uma de 1, outra de 2, ao final uma de 3 dormitórios, todas de adobe e usando as tecnicas da bio arquietura, estes projetos ficarão a disposicao da prefeitura para que a população caso tenha interesse me contacte.
Uma parceria que pode almejar planos futuros.

Outro ponto que gostaria de citar, é do projeto do 1º Curso de Bioconstrução de Ribeirão Preto-Sagarana. Ainda em estudo e com a expectativa muito grande a respeito, o curso tem a intenção em realizar e auxiliar uma outra obra no local onde há a sagarana, o nome do projeto é Veredas, espaço projetado como um refeitorio/cozinha. um espaço maior que a sagarana e com o uso de encontro, um espaço com maior estrutura e maior area. O projeto está em criação. E como eu disse o curso auxiliaria a construção da Veredas, assim ensinsando na pratica da construcao todos os alunos. As expectativas sao as melhores para o curso. e espero que seje tudo como estamos desejando. Outros projetos espero uma certeza maior para informar voces.
por hoje é só pessoal
seja feliz.
leo gazeto

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Aluno Especial ?















Olá pessoal, hoje dia 9 de fevereiro entreguei toda a papelada pra ser aluno especial na faculdade de arquitetura e urbanismo da USP - São Paulo.
O que é aluno especial???...simples eu posso assistir aula sem que haja um vestibular ou algo como um processo seletivo, mas o principal é estar dentro da universidade publica e a possibilidade de poder estar em contatos com pessoas que estudam e pesquisam sobre o que me interessa, doutores na área do meu interesse.
A matéria que eu posso fazer, se for apto, será de arquitetura com terra, o tema que eu sempre porcurei pesquisar e sera de grande valia estar com pessoas que podem me ensinar e conversar em todas as minhas duvidas.
As aulas começam no dia 19 de março, e pelo menos na primeira aula preciso ir...caso seja apto, todas as quintas estarei na capital paulista para aprender sobre a minha paixão de arquitetura com terra...a certeza que estamos encaminhando para um futuro com boas noticias!!
Quem sabe sampa se torne a minha morada momentanea??? isso somente o tempo irá dizer, caso isso torne verdade será um aprendizado mais isto é para outro artigo.
p.s: a possivel mudança para sao paulo é uma chance e nao certeza, mas sempre meus amores estao em ribeirão!! e sempre morarei !! mesmo que apenas de finais de semana..
seja feliz!!!
leo gazeto

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Pneus Reciclados



Olá pessoal..

Uma técnica vem crescendo muito é a de paredes de pneus..o uso de pneus velhos e sem uso, na construcao de pisos, paredes, escadas a cada dia vem sendo maior..Com o assentamento de terra dentro do pneu e fazendo o mesmo que a taipa de pilao...piloar a terra dentro do pneu para que fique firme e duro..para que tenha estrutura e rigidez.. assim pode se conseguir paredes largas e altas e com alto grau de conforto termico e acustico.

AS VANTAGENS DA CONSTRUÇÃO COM PNEU RECICLADO:
- Saúde pública: a disposição de pneus velhos é de interesse e importância para a saúde, especialmente em áreas tropicais onde os pneus rapidamente podem criar ambientes favoráveis para proliferação de mosquitos. Incorporando os pneus na construção, este problema será totalmente evitado.
- Contaminação da atmosfera: um método comum de disposição dos pneus é a queima dos mesmos. Esta prática não é oficialmente permitida por causa da contaminação severa da atmosfera, entretanto ainda é uma prática comum, pois evita a criação de mais habitat de mosquitos, especialmente em áreas onde a Febre Amarela e a Dengue apresentam sérios problemas de saúde. Novamente, o uso de pneus dentro das paredes de edifícios evitará tal problema.
- Baixo custo: sendo feita essencialmente de terra e material que normalmente será jogado fora, a estrutura principal da casa será eficiente e de baixo custo. Entretanto, o método exigirá trabalho intensivo. Uma solução ideal para comunidades com baixo acesso de recursos.
- Estruturalmente forte e flexível: as paredes grossas são compostas de pneus enchidos com terra e socadas até que os pneus comecem a se deformar. Camadas subseqüentes moldam esta deformação, formando um cadeado mecânico poderoso. Além do mais o peso das paredes criará uma estrutura forte e estável. Paredes retas são fáceis de construir, mas com este método de construção, paredes circulares ou curvas serão igualmente simples e fáceis de construir.

pessoal alguma duvida pergunta questiona..

seja feliz

leo gazeto

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Portifolio Bio-arquiteto


Olá pessoal..este é meu portifolio, neste cartaz, folheto... temos um breve comentario sobre a bio arquitetura, a sagarana, meu primeiro projeto ecologico, temos o trabalho fina de graduacao. algumas imagens..e as experiencias com telhado verde..tanto na sagarana como no erea-presidente prudente.
Espero a busca de trabalhos com este conceito...a busca será insercante..
estamos buscando o nosso melhor...e nas proximas semanas podemos ter noticias boas...
algumas possibilidades de trabalho, conhecimento e aprendizado podem acontecer..mas podem ter certeza que sempre que tiver novidades contaremos em primeirão mão aqui no Blog..
seja feliz..
até a proxima..
léo gazeto

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Desiludido, um pouco?


Olá pessoal....venho por meio desta informar a minha desilusão sobre a minha busca. Sabe quando agente deseja algo e espera daquilo a coisa mais linda? e nao acontece. Quando agente ve as qualidades e os defeitos se passam como se fossem fumaça? Todos podem falar dos defeitos mas você insisti na ideia de que para voce é perfeito....
Isso e tudo que circula esta sensaçao chamada desilusão, estao caminhando comigo neste inicio de ano..
O sentimento de frustaçao com o que eu sonhei, como o que me alucinei...foi por agua abaixo....como uma cachoeira que lança a agua como um dejeto....
o sentimento nao pode ser representado....
mas desta licao aprendemos mais uma vez que necessitamos errar para poder....na verdade nao sei porque devemos errar...nao deveriamos aprender vençer perdendo e sim ganhando sempre!!!
desculpe o modo de falar e de espor meus sentimentos...mas a ocasiao faz o escritor...
Estou voltando pra casa de vez!!!.... e procurando inspiração para a arquitetura que sempre me inspiro...
seja feliz.....